Trabalho desenvolvido na SES-MG é selecionado para publicação internacional

O trabalho Monitoramento da Investigação dos Óbitos Relacionados e Eventos Adversos e Dos Never Events pela Vigilância Sanitária do Estado De Minas Gerais, desenvolvido pelas servidoras da Vigilância Sanitária da Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais (SESMG), Nádia Aparecida Campos Dutra, Rosilaine Aparecida Da Silva Madureira e Carolina Sellera Felisbino Roza, foi selecionado para ser publicado na Revista Journal of Infection Control da Official (JIC), publicação da Brazilian Association of Infection Control and Hospital Epidemiology Professionals (ABIH). A publicação internacional divulga estudos sobre controle de infecção e epidemiologia hospitalar.

Nádia Dutra e Rosilaine Madureira, referências técnicas em Segurança do Paciente | Acervo Pessoal

O trabalho foi apresentado no I Congresso Mineiro de Epidemiologia, Prevenção e Controle de Infecções em novembro de 2017 e descreve o monitoramento dos eventos adversos (EA) em serviços de saúde e a atuação da Coordenação de Investigação e Prevenção das Infecções e Eventos Adversos, que desde 2015 desenvolve ações com ênfase na segurança do paciente. Evento adverso são falhas ocorridas durante o cuidado ao paciente e que gerou algum dano ao mesmo.

“A equipe da Visa buscou sensibilizar e capacitar os profissionais de saúde realizando reuniões técnicas com os hospitais, onde os mesmos foram orientados a realizar o cadastro dos Núcleos de Segurança do Paciente (NSP) no sistema NOTIVISA. Além de abordar a importância da notificação dos eventos adversos os NSP fazem a investigação e a elaboração de medidas preventivas e corretivas pelos hospitais”, explica a referência técnica em Segurança do Paciente, Nádia Aparecida.

A análise destes eventos é realizada depois da notificação e avaliação do relatório preliminar de investigação preenchido pelo serviço de saúde, verificando se a investigação foi conduzida de forma correta e oportuna, se os fatores contribuintes foram identificados e, principalmente, avaliar o plano de ação que deve conter as medidas preventivas e corretivas.

Segundo Nádia, as informações geradas pelo trabalho contribuirão para apoiar as ações da VISA na melhoria da qualidade e na promoção de uma assistência mais segura. O estudo conclui que, é necessário instrumentalizar os profissionais de VISA para uma melhor compreensão dos fundamentos básicos da investigação dos EAs, objetivando implementação de ações mais efetivas e maior precisão das possíveis causas dos EAs.

O papel educativo da VISA é de suma importância uma vez que, durante as inspeções sanitárias, os serviços de saúde são orientados a adotarem as ações preconizadas pela OMS, Ministério da Saúde e ANVISA, para a melhoria da qualidade assistencial promovendo assim, um cuidado mais seguro.

“Para isso, é de suma importância que a VISA seja parceira na integração entre o Núcleo de Segurança do Paciente e a Alta Gestão, por ser essa, fornecedora de subsídios financeiros, recursos humanos e que determina o delineamento dos processos institucionais para que os profissionais atuem no cuidado seguro”, conclui Nádia.

Extraído de: Secretaria de Saúde de Minas Gerais