Regional de Saúde de Uberlândia orienta servidores quanto ao sintomas e prevenção da Raiva

A raiva humana é uma doença letal, com 100% de letalidade. “Segundo a literatura, há registro somente de cinco casos de pessoas que sobreviveram à doença”, afirmou o médico veterinário da Regional de Saúde, Álvaro Braga. Como a doença pode ser transmitida por qualquer mamífero animal de dois a cinco dias antes dos sintomas, “muitas vezes as pessoas não percebem o risco da transmissão e não procuram o serviço de saúde, o que é mais perigoso”, explicou Braga. A principal forma de prevenção é a vacinar os cães e gatos. As vacinas são disponibilizadas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) nas secretarias municipais, assim como o soro antirrábico, em caso de mordida ou contato da saliva de animais raivosos diretamente nos olhos, mucosas ou feridas. “A primeira medida a ser adotada em caso de mordida é lavar o ferimento abundantemente com água e sabão e procurar por assistência médica”, reforçou o médico veterinário. 

Priscilla Fujiwara SRS Uberlândia Raiva 1

#Dica: Vacinação é a melhor prevenção contra a Raiva

Sintomas de Raiva Humana

Os sintomas da raiva duram de 2 a 4 dias.  O paciente apresenta mal estar, pequeno aumento de temperatura, anorexia, cefaleia, náuseas, dor de garganta, entorpecimento, irritabilidade, inquietude e sensação de angústia. Também podem ocorrer hiperestesia e parestesia no trajeto de nervos periféricos, próximos ao local da mordedura, além de alterações de comportamento.

A infecção progride, surgindo manifestações de ansiedade e hiperexcitabilidade crescentes, febre, delírios, espasmos musculares involuntários, generalizados e convulsões. Espasmos dos músculos da laringe, faringe e língua ocorrem quando o paciente vê ou tenta ingerir líquido, apresentando produção intensa de saliva. Os espasmos musculares evoluem para paralisia, levando a alterações cardiorrespiratórias, retenção urinária e prisão de ventre. O paciente se mantém consciente, com período de alucinações, até a instalação do coma e evolução para óbito.

Observa-se dificuldade de deglutir, aerofobia (horror mórbido ao ar livre), audição dolorosa de certos sons, fotofobia (aversão à luz). O período de evolução, depois de instalados os sinais e sintomas até o óbito, é em geral de 5 a 7 dias.

Extraído de: Secretaria de Saúde de Minas Gerais